Baú de Traços & Troços
Nascer,morrer, renascer ainda, tal é a lei (Kardec)
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato Links
Textos
A frase, lançada de supetão, causou um estrago danado dentro daquele peito varonil. Em verdade, não foi bem assim o dito. Tinha mais palavras: “Venho tentando de tudo para tirar você da minha vida”. Sim, foi assim mesmo, e porque tinha mais palavras deu tempo para que o pensamento comprasse passagem de urgência e voasse até o passado. Bem distante, há que se reconhecer, mas deu para chegar lá, sem incidentes, embora com algumas turbulências e rajadas de ventos “de través” no pouso. Então, é de lá que vem o enredo da estória, “que poderia ter sido bonita e de final feliz”, avaliou o ofendido em sua mudez por estupefacção, “não fosse por sua vaidade e egoísmo estúpidos”, completou seu pensar num franzir de lábios. De fato, não iria negar que se tomou de amores por aquela criatura gentil e alegre, que, embora de uma beleza discreta, sobressaia-se sempre sobre as demais, quando dos encontros nos “points” juvenis do momento. Ah, aquelas covinhas nas faces, ancoradas no sorriso branco e franco que o azul dos olhos realçava, derrubava qualquer cidadela fortificada, cristã ou infiel. E foi assim que capitulou, vítima do ataque avassalador daqueles dons e dotes a massacrar sua timidez de homem e poeta ou poeta-homem, sabe lá Deus o que passara a sentir que era. Com ela sentia que viera o fim de seus sonhos tranquilos de paz e serenidade. Mesmo assim, debitou tudo na conta do tempo, aguardando se lucro ou prejuízo o resultado final. Foi seu amor, seu amigo e seu amante fiel durante um bom tempo, mesmo sem a contrapartida do lado de lá. Paciência, sentia haver um “que” cármico nessa relação desbalanceada, nesse encontro ou reencontro desprogramado. Depois, como é costume acontecer, chegou o distanciamento físico e verbal. Monossílabos eram senhas de “fim de caso”. Caso esse, que, em verdade, nunca fora seu. Afastou-se enfim, com a sensatez dos que sabem lidar com a razão e o desprendimento. Voltou ao presente, bombardeado por uma torrente de palavras e justificativas que não lhe diziam respeito. Fixou seu olhar sereno e firme naqueles olhos azuis agora sem o brilho e a sedução de outrora e retrucou: “Eu? Sair de sua vida? Está louca? Como alguém pode sair de um lugar onde jamais entrou? Por Tutatis, vá para o inferno, pois estou indo na direção contrária”, exclamou, coadjuvando a lógica das interrogações. E lhe deu as costas, solenemente, saindo abraçado com seu amor próprio, enfim reconquistado. palhinha
palhinha
Enviado por palhinha em 03/12/2017
Comentários