Baú de Traços & Troços
Nascer,morrer, renascer ainda, tal é a lei (Kardec)
Capa Meu Diário Textos Fotos Perfil Livro de Visitas Contato Links
Textos
Meus versos desvalidos se fizeram pó. E se perderam nos espaços mundanos das solidões. Aspiro as brisas, buscando sentir seu perfume. Escuto os pássaros, querendo ouvir sua voz. Meus passados são cinzas para o mundo. Meus futuros são brumas intransponíveis. E assim será, por todos os tempos. Até que brilhe, novamente em meu caminho, a luz abençoada do seu amor.
palhinha
Enviado por palhinha em 02/07/2019
Alterado em 13/08/2019
Comentários